Joana Bicho - Psicóloga | Psicoterapia no Adulto
20804
page,page-id-20804,page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-2.3.1,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive
depressao_crianças

A Saúde Psicológica passa pela aceitação das diferenças, a capacidade psíquica em fazer lutos, perder um passado como preço do prazer de descobrir o novo, o diferente, ao longo do tempo, numa dialética de mudança entre o que fomos, o que somos, e o que vamos ser…

Todo o nosso desenvolvimento inscreve-se numa história de lembranças do antes, do que fomos, do agora, do que sou, e da apreensão do depois, do futuro, do que iremos ser. Em adultos somos confrontados com exigências novas, sociais, laborais, afetivas. Incorporamos vários papéis no dia-a-dia, que por vezes são difíceis de integrar. Ao longo da vida, adquirem-se ferramentas que até à altura pareceram eficazes para lidar com as contingências da vida e com a diversidade do sofrimento humano. Contudo, esses recursos e formas de sentir e pensar, que se foram instaurando, podem não ser suficientes numa determinada altura da vida e bloquear a harmonia, colocando um entrave à felicidade e ao bem-estar emocional. Viver implica sempre um grau de incerteza, e por isso é normal experienciar angústia, podendo esta ser vivida com sofrimento, mas também, podendo ser promotora da mudança se a transformarmos.

A capacidade de nos pensarmos e de nos compreendermos ajudará a construir novos recursos e novas ferramentas, mais saudáveis e adaptados à realidade presente, para se alcançar a mudança que tanto se deseja. Construímos a possibilidade de entrarmos em contacto connosco e com partes nossas que, por vezes, empurramos para longe, para assim, nos ligarmos ao outro de uma forma mais autêntica, crescendo emocionalmente, tolerando melhor as “ratoeiras” da vida, apreciando-a de uma outra forma, mais tranquila, serena e plena. Por vezes é, também, necessário revisitarmos certas lembranças, para seguirmos um caminho diferente, harmonioso e mais positivo.

ÁREAS DE INTERVENÇÃO: 

· Luto;
· Dificuldades interpessoais / inibição social / isolamento;
· Dificuldades na vida escolar / profissional;
· Ansiedade / pânico / sensação de irrealidade (desrealização) ;
· Medos excessivos / Fobias;
· Comportamentos de risco;
· Perturbações de personalidade;
· Depressão / choro fácil / culpa;
· Instabilidade emocional;
· Confusão acerca da identidade;
· Sentimentos de vazio, solidão e ausência de sentido;
· Agressividade / impulsividade excessiva / irritabilidade;
· Sensação que não consegue controlar os comportamentos e gerir emoções;
· Incapacidade de apreciar a vida;
· Baixa auto-estima;
· Distúrbios alimentares;
· Problemas de sono;
· Dificuldade na adaptação a mudanças de vida (divórcio, casamento, mudança de emprego) ;
· Queixas somáticas sem causa orgânica (dores de cabeça, palpitações, · tonturas, problemas gástricos) ;
· Obsessões / compulsões;
· Comportamentos aditivos;
· Desejo de desenvolvimento pessoal.


Fazer psicoterapia é poder investir em si, e poder sentir-se melhor.

PSICOTERAPIA