Joana Bicho - Psicóloga | A Experiência na Psicologia
20715
page,page-id-20715,page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-2.3.1,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

A experiência na psicologia é uma viagem infindável com a certeza de constantes aprendizagens e desafios. É no campo, no terreno e na prática clínica que nos deparamos com o que significa ser-se psicólogo clínico. A permanente formação oferece-nos as ferramentas, mas, mais importante do que qualquer teoria, são as pessoas, isto é, aquilo que somos enquanto psicólogo/psicoterapeuta e o que representamos para o outro.

Na prática clínica temos a exigência e o dever de ver em vez de meramente olhar; de escutar em vez de meramente ouvir; de sentir em vez de meramente estar. Deparamo-nos com a relevância de escutarmos e compreendermos cada história de vida de forma integrada, singular e dinâmica. Devemos olhar para cada um como um ser único e diferente. Isto é, compreender os medos e inquietações, mas também as potencialidades de cada um que nos chega.

Ao longo do percurso percebe-se que ser psicólogo é uma grande responsabilidade e um grande privilégio. Responsabilidade pela consciência da carga das nossas palavras, dos nossos silêncios, dos nossos olhares. Privilégio pela ligação única e peculiar que é estabelecida na relação terapêutica; por sermos, com o outro, agente de transformação, por ajudarmos a compreender-se e a aceitar-se, para que possa ser mais feliz.